sexta-feira, 23 de março de 2012

Ao vento, ao ouvido que quiser pegar, à memória que quiser lembrar...

 imagem de: http://verticontes.blogspot.com.br/2010/07/nao-coloque-o-nariz-se-nao-for-chamado.html

...às raízes.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Será o 8 de março realmente das Mulheres?



Talvez não devesse existir um dia para que lembrássemos delas. Só pra constar, uma etnia ou gênero que possui um dia especial em que comemoram a própria condição, geralmente é pra disfarçar a opressão que sofreram ao longo da história e que ainda sofrem. Nas escolas lembramos sempre de quais dias? Dia do índio, massacrados por 500 anos do passado brasileiro, que tomaram suas terras e ainda cederam de volta uma minúscula parte delas, como se fosse um puxadinho pra compensar a expulsão. Dia da Consciência Negra, pra compensar anos de tortura e escravidão desmedida, tratados como produtos apenas por não terem a mesma cor da pele, por HOMENS de pele BRANCA.


E o Dia Internacional das Mulheres? Bom, aqui tomo a liberdade de colocar algo que li hoje, escrito pelo meu irmão Bruno Baader:


"Existem duas teorias sobre a origem do dia da Mulher: A primeira fala de 130 mulheres que, durante uma greve por melhores condições de trabalho e menor jornada (que era de 16 horas), foram trancadas na fábrica e carbonizadas num incêndio criminoso. A segunda fala de uma onda de protestos na Rússia por melhores condições sociais e contra a entrada do país na 1ª Guerra Mundial que desembocaram na Revolução Russa de 1917."

Bom, nem é preciso dizer que, independente de qual seja a teoria verdadeira (ou verossimilhante), ambas apresentam uma origem a partir da luta, seja por direitos, seja contra a opressão. Nos dois casos, os responsáveis por privá-las de direitos e liberdade eram HOMENS, de pele BRANCA.

Se vê por aí alguém lembrando do dia do homem ou o dia do branco? Não? Pois é, isso acontece justamente por serem as mentalidades de machismo e racismo, desse homem branco, as que movem parte dos comportamentos sociais atuais. Essas mentalidades preconceituosas não precisam ser compensadas pela sociedade com celebração de datas, pois elas são DOMINANTES nessa mesma sociedade! O dia internacional da mulher não é pra comemorar o machismo atenuado, mas sim pra protestar contra ele. O dia se originou por motivos de luta, mas hoje tornou-se um meio de reafirmação de valores preconceituosos. As mulheres não são tratadas como produtos (tal como os negros foram por muito tempo) embelezados? As mulheres não eram (e ainda são, só que felizmente menos que antes) limitadas a algumas esferas sociais específicas (tal como os indios são atualmente)? A pergunta principal que fica é: são comportamentos que satisfazem quem, no final desse processo todo? O dia 8 de março se tornou nada mais do que uma comemoração do bem que elas fazem aos homens. E isso significa que elas seriam um meio, enquanto a satisfação dos homens seria o fim.



Se existe algo para comemorar nesse dia 8 de março, é justamente os movimentos de luta rumo à igualdade entre os sexos e gêneros, bem como a libertação dos mesmos em relação ao sistema. Mas não, vemos o oposto disso. Parabenizamos elas por serem exatamente como os homens querem, de tal forma que elas, em sua grande maioria, também acreditem que devam ser assim. Lanço uma simples questão sobre isso então: porque a calça jeans masculina é folgada, enquanto a feminina é bem justa ao corpo?


E, como se não bastasse, ainda existem homens que fazem os comentários mais machistas possíveis, tal como essa famosa frase: "Hoje é o dia da mulher, pois o resto do ano é dos homens". E quando digo homens, me refiro aos mais variados tipos, conservadores ou de esquerda. É triste ouvir, de alguém supostamente revolucionário, que as mulheres protestando sem camisa só fortalecem o machismo, pois é isso que os homens querem: ver mulher sem roupa. Bom, se for dessa forma, as mulheres deveriam usar burka até o dia em que o machismo cair, ao invés de protestarem em defesa da própria posse de seus corpos. Se nos privarmos de nossas posturas devido ao preconceito das pessoas, não só deixamos de viver, como mantemos vivo o preconceito.

Se for assim como esse cara diz, então as mulheres que queimaram sutiãs fizeram um protesto inútil (apesar de termos ele como referência até hoje no movimento feminista), já que todo homem prefere uma mulher com seios nus... Já que né, a egipcia (Egito = pais predominantemente muçulmano fundamentalista) Aliaa Magda Elmahdy (mais informações sobre ela aqui) só reforçou o machismo ao postar fotos nuas de si mesma, como forma de protesto, em seu blog... #ironia
O que se celebra todo ano, no dia 8 de março, não é a valorização da mulher, sua luta e tentativa de alcançar autonomia, mas da visão que o homem tem sobre a mulher. Uma visão que, ao contrário de libertar, limita e subordina, segrega e desmotiva. Isso, além de mostrar o quanto esse dia perdeu seu sentido original, passa longe de ser um motivo pra se dar parabéns...





.