sábado, 30 de julho de 2011

Quando o feminismo vira sexismo?



---------------------
[Adendo interessante com base na discussão, mas não diretamente relacionado à temática do vídeo acima:]

9 comentários:

  1. [tio.taz] concordo, é outra coisa. Mas qual é o limite do nosso posicionamento entre a opinião e a agressão moral? Não fazemos isso o tempo todo, não são nossos micro-preconceitos diários? Não acho que feminismo seja isso que essas mulheres expuseram na tv, mas que muitas mulheres se sentiram empoderadas ao assistirem várias mulheres ricas e bem sucedidas dando risada de um penis cortado, isso eu tenho certeza - e não por serem pessoas más e perversas, mas por não terem condições de discutir isso.

    ResponderExcluir
  2. não q eu defenda a mina que cortou o pênis do cara, mas a informação que recebemos e o que realmente ocorre é uma grande agressão do homem para com a mulher, a violencia machista é grande, o número de estupros é grande, e na esmagadora maioria dos casos são de homens contra as mulheres. e aí quando uma mina comete um ato desses acho que algumas veem nisso uma espécie de vingança, não de uma pessoa contra outra pessoa, mas de um sexo masculino contra o sexo feminino, é uma luta sexista.

    eu por exemplo nao vou mentir que meu subconsciente aplaude por exemplo um touro que chifra um cara na tourada, onde o animal vai ser vitima no final... ou quando uma mina esfaqueia um estuprador, como ocorreu esses dias...

    ResponderExcluir
  3. [tio.taz] concordo, mas o que o vídeo propõe é que pensemos que se fosse o contrário, a repercussão seria MUITO diferente. vivemos sim num mundo machista, não nego isso, mas como diria bob black "Feminismo? Igualdade com os homens: uma ambição patética". Sou obrigado a concordar. Também meu subconsciente aplaude o touro, bem como se sente ofendido com o fato da mulher ter cortado o pau do cara por ele ter pedido o divórcio... Porque a violência do oprimido deve ser aplaudida se é também violência, se é tão pior quanto? Isso me lembra a Revolução Francesa. [se bem que eu concordo um bom bocado com a violência do oprimido ;) ).

    O que me interessa ao colocar esse vídeo é abrir uma discussão sobre até que ponto a violência do oprimido é legitimada por ele ter sido oprimido (e no fundo, até que ponto ele não está cometendo o mesmo erro despótico de quem o agrediu primeiramente).

    ResponderExcluir
  4. acho que depende muito do oprimido a que vc se refere. em casos específicos, como esse da mina que cortou o pênis do cara pq ele pediu o divórcio, eu particularmente não me sinto bem de julgar um caso com as notícias jornalísticas midiáticas, pois a gente nunca sabe na real o que realmente aconteceu, mas supondo que a real seja essa mesmo, a mina se vingou por causa do divórcio, foi uma atitude desumana que não pode ser aplaudida. mas se pegarmos no âmbito geral, a mulher como o ser oprimido, e usando a violencia como forma de defesa, mais uma vez uso o caso do estuprador que foi esfaqueado pela namorada da mina que a estuprou, aí eu defendo sim, não pelo uso da violência em si, mas pela defesa da vítima. mas acredito que o buraco é muito mais embaixo, não adinta pensar somente na punição pós caso de violencia, pois se existe violencia é pq já existe um pré problema enraizado.

    ResponderExcluir
  5. http://miseriahq.blogspot.com/2011/08/o-dia-em-que-o-morro-descer-e-nao-for.html

    para dar samba a discussão...

    ResponderExcluir
  6. [tio.taz] tenho várias idéias contraditórias sobre a validade do uso da violência pelo oprimido (mas as quais estou tratando de resolver). Mas o que o texto propõe não é a validade ou não do uso, mas a situação absurda de um grupo de mulheres influentes rindo de uma violência física, fazendo piadas com o violentado, com a situação. O fato dele ou dela estarem errados é uma coisa, tornar a violência aceitável E AINDA MAIS ESSA VIOLÊNCIA, QUE NÃO PROMOVE SEQUER UM EXEMPLO CONCRETO DE MODO DE DEFESA PARA AS MULHERES, NÃO AS TORNA MELHOR QUE OS HOMENS MAS TÃO SOMENTE IGUAIS ("ambição patética"). É nisso que estou tocando, e é nisso que o vídeo toca. Não penso na punição dele ou dela, não estou AQUI questionando se o mal do machismo é enraizado ou não, se provoca isso ou não - todos esses são temas que não são evocados diretamente pelo vídeo e são secundários PELA TEMÁTICA DO VÍDEO: defender a mulher da SOCIEDADE que é machista perpassa torná-las violentas a ponto de mutilar os homens? Isso não é feminismo, como você ressaltou, mas saiba que muitas pessoas comentaram com orgulho o feito da mulher, que era corajosa de se defender (mesmo que de um pedido de divórcio - a única coisa que nós e elas sabemos do caso).

    Batata, aí sim, bem colocado. aliás, desse maravilhoso samba, tiro que se as mulheres soubessem e aproveitassem a força que têm, não precisariam usar da violência sem resultados maiores que ela em si mesma. Enquanto aquelas ficarem sentadas rindo no palco, outras rindo no auditório, e outras sendo espancadas em casa, o sentimento não será, ainda, de mudança, mas de mera vingança.

    ResponderExcluir
  7. eu concordo contigo taz, quando vc diz: "a situação absurda de um grupo de mulheres influentes rindo de uma violência física, fazendo piadas com o violentado, com a situação"

    A mídia taí com seu papel fundamental de influenciar a cabeça das pessoas, e consegue! Volto a dizer, é fato que a violência contra as mulheres é superior à contra os homens, então quando um fato deste ocorre, e independente do motivo, algumas pessoas se prazeirizam com isso por um sentimento de vingança, o que eu particularmente acho errado. Acaba-se tornando não um caso particular que independe do motivo, mas o feminino contra o masculino, uma guerra de sexos interminável.

    Ah, eu sei que não é o foco do seu questionamento rsrs mas não posso deixar de me indignar quanto ao título do vídeo e à forma inadequada do termo feminismo...

    ResponderExcluir